Português

O Fluxo de Caixa na Hotelaria Independente – Parte 1

By Marco Fonseca, agosto 26, 2016

Segundo dados do Sebrae, o descontrole sobre o fluxo de caixa é uma das principais causas de falências de empresas no Brasil. Nos últimos anos, a taxa de mortalidade das empresas no Brasil tem ficado em torno de 25% (empresas que foram à falência antes de 2 anos de sua constituição).

A correta gestão hoteleira – em todos os seus aspectos – torna-se crucial durante os períodos de crise, especialmente para os hoteleiros independentes.

Felizmente, nos últimos anos a tecnologia evoluiu de forma que os sistemas modernos sejam acessíveis aos hoteleiros independentes, oferecendo recursos de conectividade (venda online) e controle operacional até então viáveis apenas para as redes ou grandes hoteis.

Estrutura, funcionários, recepção e vendas são temas mais evidentes no dia-a-dia, pois os efeitos de sua negligência costumam ser sentidos em curtíssimo prazo. Por este motivo, a gestão financeira exige disciplina do hoteleiro, pois quando seus efeitos negativos forem sentidos, pode ser tarde demais.

Segundo definição do Sebrae, “Fluxo de Caixa é um Instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo de caixa para o período projetado”. Em termos leigos, significa que, tão importante como ter receita e lucro, é ter sempre algum dinheiro em caixa.

 

Você não é seu hotel / pousada / hostel

 

Uma das práticas mais comuns na gestão de pequenos negócios é a mistura do que é pessoal com o que é profissional, mesmo em empresas não-individuais. Esta prática pode trazer certa agilidade e redução de burocracia (além de redução de alguns custos) em alguns casos. Por outro lado, pode trazer despesas e prejuízos ao hoteleiro que não separar corretamente alguns assuntos, sendo o controle financeiro o principal deles.

Algumas perguntas para reflexão:

  • Você possui uma conta corrente de Pessoa Jurídica para seu estabelecimento hoteleiro?
  • Você costuma tirar dinheiro do próprio bolso para pagar pequenas despesas de seu negócio? Se sim, você formaliza um reembolso da PJ para sua PF?
  • Você mantém recibos e comprovantes de tudo o que paga para o estabelecimento e os envia ao contador?
  • Você costuma manter um saldo na conta do estabelecimento todo final de mês ou transfere tudo para sua conta pessoal como lucro?

As perguntas acima revelam práticas comuns entre os pequenos empreendedores no Brasil, mas que podem levar a complicações na gestão. Neste artigo não entraremos em detalhes sobre essas práticas, bastando reforçar que a gestão hoteleira, principalmente no aspecto financeiro, deve ser o mais organizada, disciplinada e separada de assuntos pessoais possível.

 

Capital de Giro

 

É importante sempre ter Capital de Giro. O portal “Só Contabilidade” o define como: “Uma parte do investimento que compõe uma reserva de recursos que serão utilizados para suprir as necessidades financeiras da empresa ao longo do tempo. Esses recursos ficam nos estoques, nas contas a receber, no caixa, no banco, etc. É o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus negócios acontecerem (girar).”

Sabe-se o Capital de Giro necessário para o negócio com planejamento, buscando-se antecipar a cada período o montante que deverá ser necessário para manter o serviço funcionando como esperado. Este detalhamento dos valores de entradas, saídas e saldo de caixa será justamente o nosso Fluxo de Caixa.

 

Juros de Empréstimo

 

Não é de agora que os juros no Brasil são altos. Então, o primeiro efeito de ficar com a conta (fluxo de caixa) negativa é ter de captar dinheiro para saldar as dívidas (e evitar multas e juros de dívida ainda mais altos). E isso significa reduzir o lucro, já que os juros serão dispêndios que não trazem benefícios à operação – são, no melhor dos casos, um “mal necessário”.

É neste ponto que os menores negócios tendem a perder. Existem poucas linhas de crédito para pequenos empreendedores em bancos, dado o alto risco. Além disso, mesmo quando existe uma linha de crédito disponível, é necessário ter uma conta bancária PJ. Desorganização financeira pode causar a recusa de um empréstimo.

Segundo a Pesquisa da Agência Sebrae de Notícias (11/2015), a maioria dos pequenos empreendedores evitam captar empréstimos em banco, buscando primeiro o financiamento das contas a pagar com os fornecedores. Em termos claros, “rolam a dívida”. Mas esta prática pode facilmente virar uma bola de neve, já que invariavelmente chegará o dia em que precisará pedir mais mercadorias (ou serviços de fornecedores) sem ainda ter quitado uma dívida anterior.

 

Dinheiro na Mão é Vendaval

 

Esta expressão popular é uma realidade para muita gente. Quando o dinheiro está disponível, temos a tendência a gastá-lo com menos cerimônia.

Quando o hoteleiro tem controle sobre o fluxo de caixa e o detalhamento do uso do dinheiro no período, ele sabe exatamente o quanto tem (realmente) disponível para novos gastos. Mesmo tendo dinheiro em conta, ele o manterá lá para ser destinado para a finalidade a que foi planejado.

Uma situação típica de descontrole dos gastos é a aquisição de novos equipamentos, ou reforma de um quarto ou dependência do hotel. Imagine que um vendedor lhe oferece um sistema de aquecimento de água com paineis solares. Financeiramente, o investimento parece fazer sentido, dada a economia com os custos de energia elétrica. No entanto, o investimento será feito no curto prazo (nos próximos 15 dias, digamos), para obter uma economia mensal recorrente no futuro (porém pequena), o que pode levar o estabelecimento a ficar sem caixa para honrar as despesas recorrentes esperadas. Ou seja, em termos de fluxo de caixa o investimento pode não ser benéfico.

Na parte 2 deste artigo, apresentaremos uma planilha modelo de Fluxo de Caixa e alguns exemplos para o correto preenchimento e acompanhamento. Clique aqui para ler a segunda parte.

 

Referências:

http://conta.mobi/blog/fluxo-de-caixa-o-que-e-e-como-fazer/

http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2015/11/30-das-pequenas-empresas-nao-possuem-relacionamento-com-bancos.html

http://www.correio24horas.com.br/single-economia/noticia/mortalidade-das-empresas-esta-diretamente-ligada-a-falta-de-planejamento-veja-como-montar-plano-de-negocio/?cHash=daab60805ecf8bb605bea4dea59b389c

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/planilha-ajuda-a-fazer-fluxo-de-caixa-da-sua-empresa,adf8d53342603410VgnVCM100000b272010aRCRD

 

Você também pode se interessar por...

Relatórios de Análise Diária: Um Guia Completo Para a Auditoria Noturna de Hotéis

  Uma das perguntas mais comuns que os hoteleiros nos fazem é “como eu gero um relatório de fechamento do […]

Pillow Talk: Atualizações do Produto Cloudbeds Setembro de 2019

Está pronto? Aqui vão as nossas novidades…… Com o final do terceiro trimestre, é hora de destacar algumas atualizações da […]

A Cloudbeds dá as boas vindas a Cláudia Godoy, Gerente de Vendas Regional Brasil

Cloudbeds, empresa líder em software para a hotelaria independente no Brasil, tem o prazer de anunciar Cláudia Godoy como Gerente […]

Abandonando a Bandeira: Como a Tecnologia Está Ajudando Propriedades a Serem Independentes

Abandonar a bandeira de um hotel está se tornando consideravelmente popular. Muitos dos hóspedes de hoje estão deixando para trás […]

Melhores, Juntos

A Cloudbeds adora ajudar os Hoteleiros e Anfitriões
a expandirem seus negócios. Deixe-nos mostrar como.

Consultoria Grátis