pt-br
Cloudbeds

Cloudbeds – Blog – Tudo sobre Hotelaria

Por que você precisa de um Channel Manager?

Subscribe for More Content
Posted by Marco Fonseca
setembro 29, 2016

Existem vários motivos, o principal deles sendo: para sobreviver no mercado hoteleiro. Em seguida, diretamente relacionado ao primeiro motivo:

Para vender mais reservas e economizar tempo.

Mas como?

Primeiro, é importante entender como a forma de vender reservas hoteleiras evoluiu nas últimas décadas, especialmente nos últimos anos.

Nas décadas de 60 e 70, vimos a formação dos grupos hoteleiros, como forma de obtenção de eficiência administrativa e principalmente em vendas, com a criação das centrais de reservas. Por volta da mesma época, começaram a desenvolver-se as conexões com os GDS (Global Distribution Systems), inicialmente utilizado apenas no ramo da aviação comercial e posteriormente adotado pela hotelaria.

Pode-se imaginar que até a popularização da Internet, estes sistemas faziam parte de redes privativas, que demandavam hardware e software específicos. O acesso aos GDS também estava restrito a quem podia pagar por ele: de um lado, as redes hoteleiras, de outro, as agências de viagem (e nem todas…).

De lá pra cá testemunhamos a Internet com os portais de viagem, motores de reserva online, busca de acomodações online nas OTAs, desde sua tenra e conturbada infância até a maturidade dos processos atuais. O hóspede pode fazer uma reserva para uma propriedade em qualquer lugar do mundo com poucos clicks. Só não sabe todo o caminho que foi percorrido pelos hoteleiros e as empresas de tecnologia por trás.

Para publicar inventário em uma OTA (Online Travel Agency, ou Agência de Viagens Online como Booking.com, Decolar.com, Expedia, Tripadvisor e centenas de outras), o hoteleiro precisa (além de formalizar o contrato de serviços) acessar a chamada extranet da OTA, uma página online onde ele cadastra os dados do estabelecimento hoteleiro, fotos e descrições das acomodações e então preenche todo o tarifário dos próximos meses ou anos, para cada acomodação… e para cada OTA.

Você deve imaginar então o seguinte:

  • Pequenas propriedades hoje podem estar disponíveis para hóspedes do mundo todo, 24 horas por dia, 365 dias por ano;
  • A grande maioria das Agências Online trabalham no modelo de comissão, portanto não há custo fixo para trabalhar com múltiplas OTAs;
  • O processo de cadastramento de inventário e tarifas nas OTAs é muito trabalhoso e toma muitas horas do hoteleiro. A atualização do inventário após vendas também.

Essas 3 afirmações levam à conclusão que:

O principal fator que limita a possibilidade do (mesmo do pequeno) hoteleiro vender 100% de sua ocupação é o trabalho que ele teria para cadastrar e sincronizar o inventário entre o máximo de OTAs possível.

É aí que entra o Channel Manager.

Em uma única plataforma, o hoteleiro controla o tarifário e inventário de todas as OTAs com que trabalha.

Assim, se sua tarifa do quarto Single em determinado período é de R$ 100,00, bastará cadastrar esta informação uma vez no Channel Manager, e ele atualizará seu tarifário em todos os canais. Se este trabalho lhe tomar 10 minutos para fazer e você trabalha com 6 OTAs, você terá economizado 50 minutos de trabalho em apenas uma tarefa simples. Multiplique pela quantidade de períodos tarifários e categorias de acomodações de seu hotel e imagine quanto tempo você economizaria. Existem hoteis que alocam um (ou mais) funcionários em tempo integral para ficar atualizando as OTAs!

A outra grande atividade que poupa o seu tempo é a atualização de inventário. Digamos que você possui 30 quartos em sua pousada. Você tem duas opções: divulgar os 30 quartos em todas as OTAs; ou disponibilizar, por exemplo, 10 quartos para cada uma das 3 OTAs com que trabalha. Na primeira opção, você precisará atualizar o inventário disponível em todas as OTAs a cada venda feita, para evitar overbookings. Imagine que é madrugada e você vende as 30 acomodações em um fim-de-semana através da OTA 1. Até que você perceba isso, as OTAs 2 e 3 ainda estarão vendendo 30 acomodações cada uma.

No segundo caso, você está reduzindo drasticamente suas possibilidades de venda. No mesmo exemplo acima, se é madrugada e alguém quer reservar 30 acomodações através da OTA1, ele só poderá reservar 10 acomodações. Dificilmente ele vai buscar nas outras duas OTAs para totalizar os 30 quartos e você perderá a venda completa, já que deverá buscar outro estabelecimento que tenha o inventário total que ele quer.

No exemplo acima, o Channel Manager permitiria que você colocasse à venda os 30 quartos nas suas 3 OTAs. Se vender os 30 da OTA 1, o Channel Manager imediatamente atualizará seu inventário nas outras OTAs para zero. Se só vendesse uma acomodação, o Channel Manager iria comunicar às outras OTAs que sua disponibilidade passa a ser 29.

Simples e prático, não?

As vantagens não param por aí. Se você utiliza um Channel Manager como o myallocator, ele é integrado com seu Sistema de Gestão Hoteleira (PMS) e Motor de Reservas. Então a disponibilização de 100% do inventário como descrito acima vale também para o motor de reservas de seu website, sua recepção ou mesmo central de reservas!

Agora deve ter ficado claro como a utilização de um Channel Manager não apenas economiza seu tempo e ajuda a conseguir mais reservas, mas também passa a ser uma ferramenta essencial especialmente para os pequenos hoteleiros.

Se você ainda não conhece o myallocator, crie ainda hoje uma conta testes grátis por 30 dias acessando myallocator.com. Caso tenha se interessado por utilizar o channel manager integrado com seu PMS e motor de reservas, solicite um demonstração da suite Cloudbeds hoje.