Restrospectiva 2016: Tendências da Indústria Hoteleira

By Alex Gaggioli, dezembro 6, 2016

Introdução:

Ano passado, nós fizemos uma previsão sobre quais as tendências da indústria hoteleira iriam dominar o mercado este ano. Em geral, nossas previsões foram certas. A indústria continua em fase de crescimento, a tecnologia continua a ter cada vez mais participação, a economia do compartilhamento segue em frente, mercados de nicho continuam como boas fontes de reservas e dominar sua presença online está mais importante do que nunca. Vamos ver como cada tendência evoluiu este ano.

A Indústria Hoteleira Continua Crescendo

hospitality-trends

Enquanto os dados oficiais não são publicados (início de 2017), 2016 aparenta ter sido um ano de crescimento para a indústria hoteleira segundo o STR/Tourism Economics. Este estudo de retrospectiva de 2016 mostra aumento em todos os indicadores de performance:

  • Oferta 1.7%
  • Demanda 2.1%
  • Ocupação 0.4%
  • ADR 4.0%
  • RevPAR 4.4%

Mesmo com o baixo crescimento da taxa de ocupação, as propriedades estão ganhando mais, como visto no aumento do ADR (diária média) e RevPAR (receita por acomodação disponível). STR já fez projeção de crescimento para 2017 para a hotelaria, porém menor que 2016. Vamos atualizar esta página assim que tivermos mais dados.

Evolução da Tecnologia para Hotelaria

software-as-a-service

Todos os anos nós acompanhamos a evolução da tecnologia e é muito empolgante ver as novas tecnologias que têm surgido para a hotelaria indepente, tornando a vida dos hoteleiros cada vez mais fácil. Os produtos estão cada vez mais abrangentes, como vemos em nossa própria suite de software e nos produtos de nossos parceiros.

Por exemplo, a TrustYou, parceira da Cloudbeds, adquiriu a CheckMate no início deste ano para adicionar comunicação via chat eu seus produtos. Agora a TrustYou pode oferecer uma suite completa de produtos diretamente relacionada à gestão de reputação e experiência do hóspede.

Em uma iniciativa para fornecer um sistema ainda mais completo aos hoteleiros, a Cloudbeds também adicionou diversas funcionalidades em 2016. De relatórios financeiros à integração com parceiros, tornamos nosso produto mais rápido, mais eficiente e mais fácil de usar.

Vamos continuar vendo empresas de software trabalhando online e o surgimento de cada vez mais opções, de revenue management à otimização dos processos na recepção. Conforme a tecnologia evolui, tudo isso fica mais barato e mais acessível. As empresas de ‘software como serviço’ (modelo SAAS) permitem que hoteleiros tenham acesso a recursos avançados a uma fração do custo de antigamente.

A Economia do Compartilhamento Crescerá

sharing-economy

Nós reforçamos bastante como empresas de compartilhamento como Airbnb, Uber e Lyft ganhariam mercado em 2016. Observamos os três serviços crescerem e ganhar inércia. O Airbnb se tornou uma das plataformas mais lucrativas tanto para turistas como os fornecedores de acomodações.  

Muitos clientes Cloudbeds usam o Airbnb para atrair mais hóspedes e, com uma comissão de apenas 3%, a plataforma deles se torna um dos canais de distribuição mais baratos para se trabalhar. O Airbnb anunciou que agora eles têm mais de 3 milhões de locais listados em seu site e o número cresce apesar da pressão de leis de cidades, estados e países proibindo o serviço.

No caso da maioria dos negócios de economia do compartilhamento, leis antiquadas proíbem os serviços (totalmente ou parcilamente). Recentemente, o Airbnb processou a Cidade de Nova Iorque por uma proposta de lei que tornaria a empresa responsável por ofertas ilegais mostradas em seu site. Os anfitriões do Airbnb já estão sujeitos a pesadas multas caso aluguem espaços restritos a alugueis de longa temporada. Atualmente, é responsabilidade individual do anfitrião garantir que esteja dentro da lei e não do Airbnb. O Airbnb argumenta que não é o trabalho deles policiar as ações de seus cliente e quer portanto que a cidade de Nova Iorque revogue a lei. 

Claro, existem outros portais da economia do compartilhamento famosos por aí. Alguns dos mais famosos sites incluem o HomeAway, agora propriedade da Expedia. O HomeAway também inclui sites menores de nicho como VRBO, TravelMob e VacationRentals.com como informado pela Tech Boomers. Mercados de nicho para alugueis de temporada ganharam popularidade nos últimos anos. Many of these sites are prominent in specific geographic areas, like Europe, as opposed to Airbnb’s very global approach.

Novas Tecnologias para os Hóspedes

consumer-facing-tech

Este ano não vimos nenhuma tecnologia centrada no hóspede causar um grande impacto na indústria de viagens. Vimos surgirem diversas startups voltadas para os clientes, bem como tentativas de empresas existentes, mas nada importante surgiu. Nós notamos inclusive que a atenção está diminuindo para sites como Hotel Tonight, que antes dominava o diálogo sobre viagens.

Exceto pelo Airbnb e sua última campanha sobre experiências, não vimos mudança de foco na atenção dos consumidores nos últimos 12 meses. Quem sabe em 2017 veremos algo mais disruptivo. Por enquanto, parece que a regra do jogo é consolidação de mercado.

Mais Mercados de Nicho

niche-market-places

Ao fim de 2015, previmos que os mercados de nicho iriam ser o centro das atenções. Os que se mantêm como parceiros viáveis de distribuição estão ganhando mais força. Como falamos acima, vimos também aquisições, como Homeaway e Expedia, definirem o mercado mais do que qualquer outra coisa.

Mercados de nicho oferecem a possibilidade da busca otimizada por categoria para os turistas que desejam experiências específicas. Mercados de nicho geográfico ainda dominam este cenário, com portais como despegar.com trabalhando focados em um mercado específico, neste caso a América do Sul.

Reservas Diretas

direct-bookings-matter

Reservas Diretas e a otimização da presença online de seu estabelecimento foram pontos importantes em 2016. Tanto Reservas Diretas quanto via agências importam e é importante trabalhar com uma variedade de canais de distribuição. Reservas diretas são lucrativas pois são livres de comissões, enquanto as OTAs continuam populares por conta do alcance e divulgação. Mesmo pagando comissões por reservas vindas de terceiros, muitas vezes o hóspede não teria encontrado sua propriedade sem a ajuda deles.

No futuro, esperamos fazer análises mais detalhadas do equilíbrio entre reservas diretas e via terceiros. Identifique seus canais de venda mais rentáveis e alavanque seu crescimento.

Conclusão

Este final de 2016 é um bom momento para avaliar suas próprias previsões para este ano. Verificar o que funcionou, o que não funcionou e o que pode ser melhorado no próximo ano.  Daqui a algumas semanas, publicaremos nossas previsões para 2017, assim como nossas tendências de marketing.

Você também pode se interessar por...

Relatórios de Análise Diária: Um Guia Completo Para a Auditoria Noturna de Hotéis

  Uma das perguntas mais comuns que os hoteleiros nos fazem é “como eu gero um relatório de fechamento do […]

Pillow Talk: Atualizações do Produto Cloudbeds Setembro de 2019

Está pronto? Aqui vão as nossas novidades…… Com o final do terceiro trimestre, é hora de destacar algumas atualizações da […]

A Cloudbeds dá as boas vindas a Cláudia Godoy, Gerente de Vendas Regional Brasil

Cloudbeds, empresa líder em software para a hotelaria independente no Brasil, tem o prazer de anunciar Cláudia Godoy como Gerente […]

Abandonando a Bandeira: Como a Tecnologia Está Ajudando Propriedades a Serem Independentes

Abandonar a bandeira de um hotel está se tornando consideravelmente popular. Muitos dos hóspedes de hoje estão deixando para trás […]

Melhores, Juntos

A Cloudbeds adora ajudar os Hoteleiros e Anfitriões
a expandirem seus negócios. Deixe-nos mostrar como.

Consultoria Grátis