Edição 2018

Introdução

A indústria hoteleira está em constante mudança e o cenário global muda mais rápido a cada dia. Como um todo, a indústria hoteleira continua a crescer e os consumidores estão viajando mais do que nunca.

Todos os anos, nós investigamos o que achamos que afetará os estabelecimentos hoteleiros independentes e a indústria hoteleira como um todo. Temos grandes esperanças, conforme novas tecnologias aparecem no mercado e os players existentes buscam maior inovação.

2017 foi um ano empolgante para nós na Cloudbeds, e estamos prontos para entrar em 2018 de cabeça. Sem mais delongas, aqui vão as nossas previsões para a indústria hoteleira em 2018.

Projeções de Crescimento da Indústria Hoteleira

Em geral, a indústria hoteleira teve um 2017 sólido, com o nono ano consecutivo de crescimento. Todos os anos, a STR, empresa de dados sobre a indústria hoteleira, publica suas previsões sobre o crescimento da indústria em cinco categorias: oferta, demanda, ocupação, Diária Média (ADR) e RevPAR. Nós utilizamos a pesquisa deles como um parâmetro geral para o mercado.

A STR mede o crescimento em sete segmentos, incluindo as propriedades independentes. O segmento independente deverá estar no topo da lista em termos de crescimento de Diária Média (ADR) e RevPAR (Receita por Acomodação Disponível), com +2.8% e +2.7% respectivamente.

STR 2018 Growth Predictions
Para 2018, a STR espera ver um crescimento nominal em todas as categorias, exceto ocupação, que passará por uma pequena queda. Muito desta queda se deve à maior oferta no mercado, mais do que uma real queda na quantidade de turistas.

Big Data e Proteção de Dados

Há anos se fala sobre Big data, mas estamos finalmente vendo as novas soluções chegarem aos pequenos e médios negócios. Tomar as rédeas de seus dados é o primeiro passo para criar estratégias melhores para tudo, de contratação de funcionários à gestão tarifária. No mundo de hoje onde tudo acontece online, é essencial olhar de perto os dados que importam mais para seu negócio.

Conforme entramos em 2018, esperamos encontrar mais soluções em Big Data para o segmente de propriedades de pequeno e médio portes independentes. Esperamos que as empresas usem os dados de seu sistema de gestão hoteleira ou motor de reservas para torná-las mais úteis, ou ao menos mais compreensíveis. Enquanto alguns sistemas de gestão hoteleira oferecem suas próprias soluções de relatórios (como a Cloudbeds!), muitas outras ainda não o fazem, criando uma grande desvantagem para propriedades de qualquer tamanho.

Big data é ótima quando se utiliza para agir – seja para entrar em um novo segmento de mercado ou para ajustar suas tarifas em relação aos concorrentes. No entanto, a maior preocupação a respeito da big data e outra informações relacionadas se trata da segurança. Todo agregador de dados tem como objetivo manter os dados de seus clientes seguros, mas é mais fácil falar do que fazer. Em anos recentes, temos visto brechas massivas de segurança que colocaram em risco centenas de milhões de consumidores – como os casos da Equifax e Target.

Pelo fato de você ficar à mercê destas empresas de dados e hackers maliciosos, é importante tomar cuidado com quem você confia com os preciosos dados de sua propriedade.

Atividades e a Melhoria da Experiência do Hóspede

Atividades e Experiências foram uma tendência que previmos em 2017 que aconteceu, e muito – tanto que estamos trazendo novamente aqui para 2018. Ano passado, algumas startups conseguiram mais de $200m em investimentos e grandes players como Marriott integraram as experiências em seus programas de recompensas.

O mercado de experiências, que inclui tudo de passeios a aluguel de bicicletas, é um setor da indústria de turismo multi-bilionária, não dominada por nenhuma empresa ou entidade específica. O mercado atual é tão fragmentado que não existe um simples website onde se vai para planejar sua viagem, além do local onde estará hospedado. Dependendo de onde você vai e o tipo de experiências que procura, existem centenas de diferentes formas de encontrar atividades e experiências diferentes.

O cenário atual deste mercado é que cada player na indústria hoteleira está buscando uma fatia desta receita adicional. De propriedades individuais às OTAs e suas empresas agregadas – existe uma enorme oportunidade de capturar a atenção e dinheiro dos turistas que buscam experiências.

Este ano acreditamos que ao menos uma das muitas startups que buscam a atenção dos consumidores neste segmento consiga destacar-se e crescer significativamente. Não sabemos ao certo se muito dinheiro será investido nas startups focadas em experiências ou se esses dólares migrarão para outra parte.

Vemos duas oportunidades no mercado de experiências. Primeiro, conectar os turistas às atividades que eles já buscam ativamente – como um parque de diversões ou um evento esportivo. Em segundo, conectar os turistas a experiências inteiramente novas que eles ainda nem conhecem. muitas vezes, estas atividades são específicas de um destino e necessitam conhecimento sobre a região e cultura local.

Bitcoin

É difícil ignorar o hype em torno do Bitcoin depois de todo seu crescimento ao final de 2017. Se o Bitcoin e outras criptomoedas se tornarem mais frequentes no dia-a-dia das pessoas, pode ser a hora de começar a buscar um processador de pagamentos que aceite bitcoin ou outroas moedas da nova era. O Strip, por exemplo, já habilitou seu processador de pagamentos para aceitar bitcoin e a Square está testando a funcionalidade com alguns usuários.

O Bitcoin pode estar em expansão agora, mas é uma forma de dinheiro sem precedentes que pode ou não decolar. Só o tempo dirá se ele se firmará como uma moeda estável.

Sobreposição dos Aluguéis de Temporada e a Hospedagem Tradicional

Estamos vendo a colisão de dois mundos na indústria da hospitalidade. Os websites que foram criados para aluguéis de temporada começarão a mostrar acomodações tradicionais e websites criados para acomodações tradicionals já começaram a mostrar aluguéis de temporada. Grandes empresas como Airbnb agora permitem propriedades hoteleiras tradicionais em seus portais. Outros sites de alugúeis de temporada como VRBO e HomeAway vão trocar listagens com outras OTAs maiores e não-específicas.

Também estamos observando as empresas tradicionais da hotelaria comprarem e construírem propriedades para comercializar como aluguel de temporada. A idéia dos hotéis de entrarem no espaço dos aluguéis de temporada não parece tão absurda quando lembramos que as grandes redes vêm trabalhando o time sharing e programas similares há decadas.

Conforme a idéia do aluguel de temporada se torna mais popular, acreditamos que mais e mais consumidores se acostumarão com a idéia de acomodações alternativas. Assim como hotéis e outras propriedades tradicionais, aluguéis de temporada vêm em diversos tamanhos e formatos, bem como faixas de preço.

Sobrecarga no Turismo

A sobrecarga do turismo vem afetando diversas cidades do mundo de forma impactante. Os problemas mais perceptíveis incluem stress da infraestrutura local, trânsito e impacto ambiental. Cidades européias como Adsterdam e Barcelona são duas das cidades mais impactadas no mundo e sentiram fortemente o que a sobrecarga de turismo pode causar.

Porém, quais seriam as possíveis soluções para a sobrecarga no turismo? Limitar as opções de transporte, aumentar os preços, marketing e colaboração entre as principais organizações envolvidas são algumas das principais formas de conter os turistas, conforme sugestão da Skift. Em muitos casos, a solução parece ser atrair o tipo certo de turistas – aqueles que ficarão por mais tempo e gastarão mais dinheiro no destino – em contraparte aos turistas como aqueles em navios de cruzeiro, que ficam em determinadas cidades por poucas horas, congestionando a cidade sem contribuir muito para a economia local.

Conforme entramos em 2018, veremos como as cidades pelo mundo lidam com a sobrecarga no turismo e combatem os problemas trazidos por ela.

Tecnologia das Propriedades

Tecnologia e hotelaria tem diversas facetas. Você tem a tecnologia que as propriedades usam para gerir as operações (PMS, CRM, CRS, channel manager, etc) e a tecnologia com a qual os hóspedes interagem (tablets, TVs, equipamentos de áudio, etc).

Sistemas Internos da Propriedade

Na Cloudbeds, temos conhecimento aprofundado sobre como estão evoluindo os sistemas internos de backend para as propriedades. As empresas que desenvolvem sistemas de gestão hoteleira, channel managers, motores de reserva, sistemas de gestão de reputação e demais relacionados, estão evoluindo bastante. Muitas das empresas que acompanhamos, tanto em nosso segmento como fora, estão crescendo, tornando-se mais confiáveis e, de maneira geral, melhores.

No próximo ano, veremos novas funcionalidades e ferramentas integradas com as tecnologias existentes. Muitas das pequenas e médias empresas no mercado têm encarado uma competição acirrada e a corrida é para criar a melhor experiência.

Nós acreditamos que em 2018 as soluções serão mais integradas. Em um mundo perfeito, isso significa uma menor quantidade de ferramentas espalhadas e uma maior quantidade de soluções integradas e tudo-em-um.

Tecnologias nas Propriedades

Para aquelas tecnologias nas propriedades, utilizadas pelos hóspedes, temos visto diversas idéias serem testadas. De tablets nos quartos a computadores gigantes no lobby, muitas propriedades querem oferecer uma experiência moderna, mas muitas acabam errando na mira. O problema, em nossa perspectiva, é que a maior parte da tecnologias implementadas hoje são desajeitadas e em adição aos dispositivos já usados pelos hóspedes.

Por exemplo, uma tela touchscreen gigante no lobby com informações sobre a região só é útil quando o hóspede já chegou ao estabelecimento. Mas, se a propriedade colocar este tipo de informação em seu website de uma forma amigável aos dispositivos móveis, tudo estaria à disposição do hóspede em seu celular – mesmo quando estão passeando pela cidade. Mesmo os tablets no quarto são desnecessários em uma época em que a maioria dos turistas já estão levando pelo menos um smartfone consigo, que atende praticamente às mesmas funções.

As tecnologias que devem sobreviver e crescer em 2018 serão aquelas que trabalham como companheiras dos dispositivos dos turistas. Por exemplo, um WiFi portátil que permita que os hóspedes acessem a internet de seus próprios aparelhos mesmo quando não estão no estabelecimento hoteleiro. Um tablet no quarto acessível apenas enquanto o hóspede está na propriedade é muito menos útil, mesmo para aqueles que ficam lá o dia todo.

Olá 2018, Estamos Prontos

Agora começa o jogo, nessa transição de 2017 para as novas tendências de 2018. Nesta entrada, estamos felizes de seguir em nossa jornada de apoiar as propriedades e grupos independentes. Junte-se a nós neste novo ano e acompanhe de perto nossa perspectiva sobre a indústria hoteleira.