TENDêNCIAS DA INDúSTRIA

5 tendências do setor de hotelaria para 2022 e como os proprietários podem se preparar

Nancy Huang

Por Nancy Huang

A interrupção abrupta que o setor de hospedagem e hotelaria sofreu em 2020 abriu caminho para a adaptação do setor em 2021 e como continuará inovando nos próximos meses e anos. Enquanto o setor de hotelaria se aproxima da normalidade em 2021, ainda há um longo caminho para atingir os níveis de recuperação pré-pandemia, especialmente conforme a comunidade internacional lida com novas variantes do coronavírus. À medida que o mundo continua lançando vacinas e se torna mais experiente em lidar com novas variantes da COVID, há luz no horizonte para as viagens.

Confira as tendências do setor de hotelaria que serão fundamentais para definir suas estratégias em 2022

1. Chegou o “Tão Esperado Momento de Viajar” e os viajantes estão prontos para ostentar

people waiting in line at airport with masks on

Embora a recuperação das viagens esteja em estado frágil a cada descoberta no mundo de uma nova variante da COVID, há evidências de que o setor de hotelaria não voltará às restrições rigorosas de março de 2020.

Mesmo que milhões de pessoas no mundo todo tenham perdido o emprego, uma parte da população conseguiu juntar mais economias no banco do que nunca, seja com a ajuda de cheques de estímulo do governo ou devido à falta de gastos com viagens, refeições e entretenimento depois que o mundo se fechou. De acordo com a McKinsey, a demografia de pessoas de alta renda nos EUA, que conseguiram manter o emprego durante a pandemia, têm um valor de economia de 10 a 20% maior agora do que antes da pandemia e estão ansiosos para gastar parte disso em viagens.

Depois de passar tanto tempo extra em casa sob ordens de isolamento ou trabalhando remotamente, a demanda reprimida de viagens está aumentando. Isso está levando ao que é conhecido como o “tão esperado momento de viajar” ou a ideia de que as pessoas têm um desejo mais forte do que nunca de viajar livremente para compensar o tempo passado em casa e as experiências que foram perdidas. As pessoas descobriram uma coisa sobre viajar: não é um desejo; é uma necessidade.

À medida que as pessoas começam a viajar mais, três hábitos estão em alta:

1. Uma maior demanda por viagens domésticas (já que as viagens internacionais continuam tendo limitações)

2. Uma preferência por estadias mais longas (com 25% dos viajantes querendo reservar estadias de mais de 10 noites)

3. Maior valorização de reservas flexíveis (levando à necessidade de políticas de cancelamento adaptadas que ajustam-se a mudanças)

Embora as viagens de negócios ainda estejam lentas no mundo todo, as viagens de luxo estão liderando a recuperação das viagens. Isso significa que focar na premiumização, ou enfatizar os aspectos de alta qualidade ou a localização da sua propriedade como forma de obter uma taxa mais alta, pode ter um grande papel para atrair um grupo demográfico de viajantes que pagam mais.

O que hoteleiros e fornecedores de hospedagem podem fazer para se preparar:

Faça um balanço das suas estratégias de marketing e preços para garantir que você atraia os clientes certos, no momento certo, na jornada digital deles. Uma maneira de impulsionar a estratégia de marketing do seu hotel é usar as mídias sociais para expandir a marca do seu hotel. Aprenda a ter sucesso nas mídias sociais, escolhendo as plataformas certas, produzindo conteúdo engajador, definindo um cronograma de postagem e medindo seus resultados.

Além disso, certifique-se de maximizar seu potencial de receita, criando planos de tarifas e preços atraentes e competitivos. Se você não é um gerente de receita profissional, a tarefa pode parecer assustadora e pode ser tentador recorrer às tarifas básicas e ao simples preço do quarto que você está acostumado a usar. No entanto, há benefícios de lucratividade em criar um plano de tarifas e uma estratégia de preços dinâmicos.

 

2. A demanda torna-se ainda mais imprevisível

As constantes mudanças advindas da pandemia significam que o planejamento de viagens se tornou imprevisível tanto para os viajantes como para os fornecedores, com regulamentações governamentais e restrições de viagem propensas a mudar de uma semana para outra.

Em consequência, os viajantes estão tentando criar suas próprias certezas,acumulando viagens” ou aproveitando as políticas flexíveis para reservar várias viagens de uma só vez, sabendo que vão cancelar ou adiar uma delas. Essa prática está tornando a demanda de viagens ainda mais incerta para fornecedores e provedores de hospedagem, que agora precisam lidar com a demanda flutuante, janelas de reserva mais curtas e cancelamentos de última hora.

O que hoteleiros e fornecedores de hospedagem podem fazer para se preparar:

Tornou-se difícil prever a demanda, pois ela não é mais estimulada pelos fatores usados no passado, como sazonalidade e grandes eventos. A demanda também pode aumentar ou diminuir com base em circunstâncias que estão fora do seu controle, como restrições de viagem. Novas restrições de quarentena em um país podem fazer com que a demanda de viagens domésticas aumente repentinamente. Porém, o anúncio da flexibilização dos regulamentos de entrada de outro país pode causar cancelamentos à medida que os viajantes abandonam suas estadias em favor de viajar para o exterior.

Para maximizar a receita em épocas de alta demanda, você vai querer ser mais rápido do que a concorrência, usando dados em tempo real e inteligência de preços. Você pode fazer isso usando uma ferramenta de gerenciamento de receita para alertá-lo quando seu mercado local e seus concorrentes alterarem os preços para que você sempre esteja bem posicionado em comparação. Uma ferramenta de gerenciamento de receita pode até mesmo alertar você para ajustar suas tarifas e restrições de estadia quando sua ocupação sofrer uma queda repentina devido a cancelamentos, para que você possa preencher esses quartos vazios do hotel.

Além disso, investir em marketing digital com o objetivo de obter mais reservas diretas, incluindo ter um site atraente e fácil de usar, também é importante, pois permite que você crie um relacionamento direto com o hóspede. Ter um relacionamento individual com o hóspede pode ajudar a amenizar problemas e mal-entendidos em situações como tarifas não reembolsáveis (que ajudam a evitar chargebacks).

3. Os problemas de mão de obra continuam

De acordo com o Bureau of Labor Statistics, o setor de lazer e hotelaria representou quase 31% dos 531.000 empregos adicionados na economia americana em outubro de 2021 e, no entanto, a escassez de mão de obra continua sendo um grande problema para o setor de hospedagem.As empresas de hotelaria sofreram notoriamente com altas taxas de rotatividade e a pandemia apenas agravou os problemas de mão de obra.

Embora o aumento das taxas de remuneração tenha atraído alguns talentos, não é a solução definitiva. E, para algumas propriedades que já estão operando com poucos recursos, nem é viável. Além disso, muitas pessoas saíram do setor para sempre após ter tempo para refletir sobre a carreira ou encontrar outras oportunidades à medida que as guerras salariais continuam.

O que hoteleiros e fornecedores de hospedagem podem fazer para se preparar:

Você não pode e não deve eliminar o aspecto humano da hotelaria, mas pode implementar a automação para tarefas manuais. Usar uma solução de tecnologia totalmente integrada pode ajudar a economizar horas de trabalho por semana. Procure soluções que agilizem as operações, automatizando tarefas manuais que antes eram realizadas pela equipe, desde a conciliação de pagamentos com cartão de crédito, o gerenciamento de tarifas em várias extranets OTA até o ajuste proativo de tarifas para ocupar quartos. Dessa forma, sua equipe terá mais tempo para fazer os hóspedes felizes.

Antigamente, os hoteleiros e fornecedores de hospedagem precisavam trabalhar com várias ferramentas, plataformas e fornecedores diferentes para atingir esses objetivos. No entanto, cada vez mais propriedades estão escolhendo uma solução de plataforma, em parceria com um único provedor de tecnologia como a Cloudbeds, que integra facilmente todas as ferramentas necessárias em uma plataforma em nuvem.

woman with luggage in lobby checking in on her phone

4. Os viajantes esperam uma experiência de hóspede mais digital

Os líderes do setor de hotelaria e hospedagem falam há muito tempo sobre a importância de proporcionar uma ótima experiência ao hóspede. Na verdade, uma pesquisa recente descobriu que as empresas que fizeram investimentos substanciais na experiência do cliente no ano passado são 10 vezes mais resilientes e tiveram três vezes mais chances de aumentar a base de clientes nos últimos seis meses do que os concorrentes defasados.

Os hóspedes de hoje esperam uma experiência digital sem contato. Segundo a McKinsey, 58% das interações globais dos clientes são agora digitais, comparado a 36% antes da pandemia. Essa mudança ocorreu em todas as gerações, não apenas na geração do milênio e na geração Z. Há uma demanda crescente por opções de autoatendimento sem contato, como entrada sem chave e pagamentos sem contato.Os smartphones se tornaram um dispositivo importante na experiência do hóspede, permitindo que eles façam check-in por celular e até mesmo enviem mensagens para a propriedade ou fornecedor de hospedagem para solicitar coisas como serviço de quarto. Esses aplicativos e serviços digitais não só proporcionam uma estadia feliz no hotel, como também são fáceis de implementar em propriedades de aluguel por temporada.

O que hoteleiros e fornecedores de hospedagem podem fazer para se preparar:

Nos últimos anos, surgiram novas tecnologias que permitem que propriedades de todos os tipos e tamanhos implementem melhorias, como entrada sem chave, self-check-in e concierge por celular. Agora, muitos desses serviços estão disponíveis por meio de aplicativos. Se você tiver uma plataforma integrada de gestão de hotelaria com uma API aberta, você poderá integrar esses aplicativos ao seu PMS para tornar coisas, como check-in por celular, fáceis para você e para os hóspedes. Dessa forma, você não apenas oferecerá aos viajantes globais e hóspedes do hotel uma experiência de viagem moderna, como também manterá todos os dados dos hóspedes centralizados em um só lugar para facilitar as operações.

 

5. Uma nova ênfase em sustentabilidade

Embora a sustentabilidade esteja no radar das tendências de viagens há alguns anos, a pandemia e a crescente preocupação com desastres naturais mais frequentes têm mantido esse tema na vanguarda dos interesses dos consumidores. De acordo com um relatório do Booking.com, 83% dos viajantes globais consideram as viagens sustentáveis vitais, com 61% dizendo que a pandemia os fez querer viajar de forma mais sustentável no futuro. O mesmo relatório constatou que 3 em cada 4 parceiros de acomodação afirmam ter implementado alguma forma de prática sustentável na propriedade.

Uma das últimas tendências que o setor de viagens está notando é que os hóspedes estão considerando fazer menos viagens, mas reservando estadias mais longas. Desta forma, a frequência de viagens aéreas é reduzida. De acordo com o relatório de ganhos do terceiro trimestre de 2021 do Airbnb, a duração da viagem de mais rápido crescimento da empresa é de 28 dias, representando 20% das noites reservadas naquele trimestre, acima dos 14% no trimestre do ano anterior. O bem-estar pessoal e o bem-estar do planeta provavelmente só crescerão em importância nos próximos anos.

O que hoteleiros e fornecedores de hospedagem podem fazer para se preparar:

A pressão é para que todos nós façamos ajustes sustentáveis na maneira de viver e administrar nossos negócios, a fim de promover uma mudança impactante para o nosso planeta. Mesmo pequenas mudanças farão a diferença não apenas no meio ambiente, mas também no seu bolso. Por exemplo, as empresas de hospedagem gastam cerca de 6% de seus custos operacionais em serviços públicos, dos quais 35% vão para iluminação. Mudar para lâmpadas energeticamente eficientes é um passo fácil e acessível em direção à sustentabilidade que também ajudará a economizar dinheiro. Outras maneiras de economizar energia incluem a implementação de termostatos inteligentes que podem ser automatizados para alterar a temperatura ao longo do dia e o uso de sensores de ocupação para desligar as luzes (somente isso pode reduzir em 30% o uso de energia elétrica).

Quando se trata de economizar água, vasos sanitários de baixa descarga e chuveiros de baixo fluxo são um bom começo, bem como a introdução de um programa de reutilização de toalhas e lençóis. Embora possa parecer que reutilizar toalhas ou tomar banho com menos fluxo de água será decepcionante para os hóspedes, se você informar que cada uma dessas modificações está sendo feita em prol da sustentabilidade, seus hóspedes entenderão, especialmente quando 73 % dos viajantes dizem que estariam mais propensos a escolher acomodações que implementam práticas de sustentabilidade.

 

Tendências de viagem em segundo plano

Em 2019, novas tecnologias como inteligência artificial, realidade virtual, realidade aumentada, quartos inteligentes e internet das coisas, deveriam ganhar uso e adaptação mais amplos em todo o setor de hotelaria. No entanto, quando a crise de saúde de 2020 assumiu o controle, o aumento dessas superpotências digitais desandou. Há uma boa chance que essas iniciativas retornem, mas o momento foi adiado. Somente o tempo e a recuperação dirão quando vão resurgir. Por enquanto, as tecnologias sem contato e de autoatendimento têm preferência quando se trata de tendências do setor de hotelaria.

A mudança é inevitável

Se a pandemia nos ensinou alguma coisa, é que a mudança pode acontecer da noite para o dia. À medida que se sabe mais sobre as novas variantes da COVID, os hoteleiros e fornecedores de hospedagem devem permanecer atentos e ágeis, prontos para se adaptar em um mundo acelerado. Considere as cinco tendências acima para se preparar para o que está por vir e desenvolva mais flexibilidade para lidar com as novas tendências à medida que elas surgem.

Preparado para solucionar os maiores desafios do seu negócio ainda hoje?
Publicado em 26 janeiro, 2022
loading background.

Sobre Nancy Huang

Nancy Huang

Nancy Huang is the Director of Marketing Communications at Cloudbeds. She has 15 years of experience working in marketing at the intersection where hospitality and travel meets technology and e-commerce. When she’s not studying travel trends or ideating marketing campaigns, she loves traveling, dining, and swimming in really cold lakes.

INSCREVA-SE
Obtenha ideias brilhantes e práticas recomendadas diretamente na sua caixa de entrada
FREE EBOOK

e-Book de Software de Gestão Hoteleira

Seu negócio pronto para o futuro - Um guia para escolher o melhor Sistema de Gestão Hoteleira.
Obtenha o e-Book
Cloudbeds
Uma plataforma projetada para ajudar os hoteleiros a gerar receita, economizar tempo e aumentar satisfação do cliente.

Você também pode se interessar por...

BLOG

Como atender – e superar – as expectativas dos hóspedes

BLOG

Como usar análise de dados em hotéis para melhorar a performance

BLOG

Como incorporar Relações Públicas na hotelaria (+recursos grátis)

Cloudbeds
Web Beacon