Cloudbeds

Cloudbeds – Blog – Tudo sobre Hotelaria

8 diferenças que deve haver entre o marketing de um hostel e de um hotel

Subscribe for More Content
Posted by Rosie Willan
novembro 22, 2018

Quando se fala em marketing, talvez tenha a impressão de que a abordagem de hotéis e hostels seja a mesma. Afinal, ambos visam uma taxa de ocupação específica de públicos parecidos. Nesta era digital, é importante que tanto hostels como hotéis tenham um site fácil de usar, uma forte presença na mídia social e uma marca memorável.

Semelhanças à parte, todos os hoteleiros vendem momentos e sensações — que são bem diferentes num hostel, quando comparados aos oferecidos por um hotel.

Para atrair hóspedes em potencial, o marketing de hostels precisa destacar essas diferenças. Há pelo menos 8 maneiras específicas em que isso pode ser feito:

 

Destacar o aspecto social

Quando hóspedes decidem ficar em um hostel, o motivo da reserva vai muito além da economia do pernoite. Os hostels destacam a troca de experiências sociais, que é um dos principais motivos de os hóspedes preferirem um hostel a um hotel.

As gerações Y e Z, em especial, costumam priorizar interações sociais nas escolhas de viagem. Nos últimos anos, viajar sozinho tem se tornado muito comum. Quem faz isso não raro decide ficar em hostels para conhecer outros aventureiros com interesses afins.

Assim, parte considerável do marketing de hostels deve se concentrar em demonstrar a proposta social do estabelecimento. A mídia social é uma ótima ferramenta para isso. Principalmente porque cada vez mais turistas recorrem a esse meio para encontrar inspiração para sua próxima viagem. Compartilhar fotos de hóspedes se divertindo, repostar conteúdo criado por usuários e usar recursos como Histórias do Instagram e transmissões de vídeo para registrar eventos são estratégias excelentes para o marketing da atmosfera de um hostel. O vídeo publicado recentemente pelo Sant Jordi Hostels em seus perfis de rede social é um bom exemplo do uso da mídia social para promover uma experiência social única.

 

Destacar as características locais

A chance de viver como um morador da localidade é um desejo cada vez mais presente entre os turistas que buscam vivências autênticas nos destinos escolhidos.

Diferentemente de grandes hotéis — que muitas vezes têm sede em outro lugar — os hostels geralmente estão integrados à localidade e têm uma equipe de funcionários com forte apego à sua vizinhança. Transformar esse conhecimento e entusiasmo em relação à comunidade em conteúdo compartilhável melhora muito o material de marketing de qualquer hostel.

Uma ótima maneira de fazer isso é compartilhar artigos de blogs com roteiros únicos, os locais mais badalados e atividades que fogem da mesmice. Essa prática incentiva hóspedes em potencial a acessar o site do hostel, fornece conteúdo original de qualidade para posts de mídia social e melhora a posição nos resultados de busca.

 

Oferecer o destino

Embora o atrativo dos hostels nos últimos anos tenha passado a incluir famílias, pessoas que viajam a negócios e casais de mais idade, o público-alvo em geral consiste em jovens e nos clássicos mochileiros.

Em geral, esses turistas costumam rodar pelo país que visitam em vez de ficar em um só lugar a viagem toda. Os da geração do milênio em especial têm sido os que mais gastam em viagens prolongadas, já que buscam conhecer o mundo o máximo possível.

Essa tendência mostra a importância de incluir o país como um todo e não apenas a localidade do hostel no marketing. Fazer parcerias com outros hostels para oferecer promoções em rotas comuns de mochileiros é uma maneira de não apenas vender o destino mas também de estimular hóspedes em potencial a fazer reservas. Há outras maneiras de oferecer o destino, como compartilhar posts de mídia social de empresas locais e fazer parcerias com empresas de passeio turístico da região para oferecer descontos em atividades e excursões.

 

Apresentar os funcionários

Nem é preciso dizer que a equipe de funcionários é crucial para o êxito de qualquer hostel ou hotel. Na maioria dos casos, os hostels têm equipes menores do que as dos hotéis, o que normalmente significa maior interação direta com os hóspedes. As oportunidades para enturmar os hóspedes vão desde simples boas-vindas na recepção até a promoção de atividades sociais que ajudem os hóspedes a aproveitar ao máximo o happy hour no bar!

Os hóspedes que optam por um hostel — principalmente turistas que viajam sozinhos — querem saber se estarão em boas mãos durante a estadia. Por isso, é muito importante que haja uma seção do tipo “Conheça nossa equipe” no site do hostel e apresentações de perfis dos funcionários nas atualizações de mídia social. A ideia é colocar as pessoas do estabelecimento em primeiro plano no material de marketing.

 

Promover atividades e passeios

Os hostels oferecem uma série de eventos e atividades únicos — muitas vezes gratuitos — para os mochileiros se divertirem e interagirem. Tanto é assim que essa característica não raro define a preferência dos turistas pela estadia em certo estabelecimento. De fato, 86% dos turistas de 18 a 34 anos participam em passeios e atividades ao viajar.

Quando as reservas são feitas diretamente por um Sistema de Gestão Hoteleira, como o Cloudbeds, hostels (e hotéis também) recebem dados sobre o hóspede. Esses podem incluir nacionalidade, idade e motivos da viagem. Com base nessas informações, os hostels podem enviar e-mails personalizados com ofertas de passeios e atividades que possam interessar aquele hóspede especificamente. Essa técnica também pode ser usada para incentivar reservas antecipadas de atividades e oferecer promoções.

 

Ficar de olho nos turistas em trânsito

Como já mencionado, é mais provável que os hóspedes de hostels visitem várias partes de um país em vez de ficar em um só lugar. Turistas jovens também estão mais ligados à tecnologia e não têm medo de fazer reservas no celular enquanto viajam.

Embora tanto hotéis como hostels devam usar anúncios pagos em mídia social para alcançar hóspedes em potencial, os hostels em especial podem utilizar o recurso de anúncios do Facebook que direciona anúncios a pessoas em viagem num determinado raio de seu destino. Isso dá aos hostels a oportunidade de atrair turistas quando já estão na estrada e inclusive compartilhar promoções de última hora para preencher vagas nos quartos.

 

Atrair quem trabalha a distância

O surgimento dos nômades digitais e empresas não ligadas a um local específico (como a Cloudbeds!) tem aumentado a demanda por acomodações econômicas, à medida que as pessoas que trabalham a distância estabelecem bases de trabalho em determinados lugares por mais tempo. Essa nova tendência laboral deve continuar, já que há uma previsão de que 50% da força de trabalho, até 2020, trabalhará a distância.

Muitos hostels, como a rede Tribe Theory , já estão se adaptando para atrair esse público relativamente recente. O marketing deles destaca os espaços de co-working, cultura start-up e aquela conexão WiFi rápida e gratuita que não pode faltar.

 

Mudar a impressão do público

Por muito tempo os hostels, ou albergues, foram vistos como opção de acomodação barata — e por vezes, de má qualidade. Nos últimos 10 anos, o setor mudou para atender às necessidades dos turistas modernos, passando por uma transformação em sua imagem. Com a ascensão dos “poshtels”, hostels estilizados e hostels ecológicos, esse tipo de acomodação agora é visto como alternativa moderna e descolada aos hotéis tradicionais.

Apesar do grande progresso nesse sentido, ainda há muito a fazer para mudar a visão que os hóspedes têm dos hostels — e muito dessa mudança depende do marketing. Os hostels precisam mostrar seu lado “deslumbrante”, compartilhando, por exemplo, fotos dos melhores quartos privativos e das partes deles que ficam melhores para postar no Instagram. Tudo isso a fim de eliminar quaisquer impressões negativas que ainda existam e promover a elegante transformação que tem ocorrido no setor nos últimos anos.

À medida que o setor de hostels continua a desenvolver-se, será interessante ver como ferramentas e estratégias de marketing digital serão usadas para promover os estabelecimentos e a vivência da atmosfera deles a um público-alvo cada vez maior.

About Rosie Willan

Rosie is Co-founder of Stay the Night, a creative digital marketing service for hostels which she runs alongside her business partner (and travelling companion!) Charlotte. Between them, they have over 10 years’ combined experience in areas including social media marketing, content marketing and PR. As travelers, they have stayed in hostels around the world, giving them a unique perspective on what works best – and, just as importantly, what doesn’t – when it comes to hostel marketing. Stay the Night offers a full range of services designed to help hostels increase bookings, reach more potential guests and grow their brand.